Subscribe:

A beleza do nascimento

Ah, como é bom abrir os olhos,
sentir a brisa tocando os lábios,
ver o véu do dia se rasgando na beleza de um sol raiando.

Como é bom sentir o mundo e fazer parte da vida,
como é bom caminhar com meus sonhos,
como é bom sonhar.

Ah, quisera eu poder todo dia ver o sol nascer,
ver a flor desabrochar,
ver o mundo sonhar.

Quisera eu poder ver a luz iluminando a vida,
o amor tocando no coração sofrido,
a amizade dando força ao caminhar.

Nascemos novos a cada dia,
somos crianças a cada momento,
mas sempre queremos ser adultos.

Nascemos pra algumas pessoas,
morremos pra outras,
uns nos amam outros nos odeiam.

Mas assim como a roda da vida gira,
assim giramos juntos num caminho que trilhamos,
basta que saibamos se queremos caminhar ou queremos que alguém nos empurre.

Se caminhamos podemos fazer nosso caminho,
se somos empurrados, caminhamos por onde outros querem caminhar.

Sonho de mudança












Hoje eu sonhei
Sonhei que tudo tinha mudado...
Sonhei que das armas saiam flores
Que das brigas, amores
Sonhei com coisas impossíveis e insonháveis, mas sonhei.

Sonhei com o jovem sorrindo
Com o adulto florindo...
Sonhei com amor...
Sonhei...

E no sonho descobri que estava sonhando
Mas que esse sonho não era só sonho
Sonhei que sonhando, sonhava com a mudança
Sonhei... sonhando fazemos a esperança.

Ao acordar pensei, era um belo sonho,
Descobri que sonhar, não é só sonhar
Que sonhar é amar
Sonhar é lutar, acreditar
Sonhar é o mundo transformar.

Venha sonhar comigo???

Coração silencioso...

Bate uma vez, para, bate outra, para de novo.
Sensação estranha aos olhos da mente.
Até então parecia querer pular pra fora e agora se cala?

Oh coração que a gente não manda
Oh solidão que as vezes nos ronda
Como queria ver meu coração batendo rápido
Como queria ver meu coração pulando fora do corpo
Ardendo, doendo, queimando
Se acabando em chamas pra novamente se acalmar....
 
Parece poético, cômico, dramático, aterrorizante,
Enfim, todos os tipos literários disponíveis
Mas é apenas um coração calado
Que teima em não bater com força..
Que teima em não queimar...
 

Oh coração bate logo nessa porta....

Um dia na vida da gente

Um dia a gente sorri
Noutro pode chorar
Mas nem sempre sorri e chora
Pode até chorar sorrindo
Mas não sorrir chorando.

Eita homem que esqueceu de perceber a beleza da vida
Homem que esqueceu o sabor de amar
Mas será que esqueceu? Ou vive aos cantos a chorar?
Homem teimoso
Homem que busca a decisão por sua mente
Homem que chora de saudade
Homem, oh homem....

Seria realmente homem?
O que seria se não fosse?
E se fosse, o que não seria?
Perguntas que movem o mundo
Respostas que fazem parar
Coração que de saudade chora
E dos olhos faz uma lágrima brotar...

A carta do jovem ao mundo

Oi, tudo bem? Posso falar com você um pouquinho? Você me conhece, mas pode não se lembrar. Atualmente falam muito de mim por ai, me vêem como baderneiro, como violento, como imaturo, sem responsabilidade. Uns até querem mudar isso, me chamando de futuro do mundo, mas mal conseguem dizer algo. Outros esquecem que passaram pelo que passo e procuram me matar, até atiram em mim.

Morri muitas vezes e continuo morrendo nas ruas, nas favelas, no trânsito. Morro pela bala de revólver, pela droga, pelos automóveis, que, aliás, andam muito rápido. Morro pela ambição do mundo, pela vontade de buscar dinheiro, pela falta de possibilidades de comer, pela má educação. Morro pela irresponsabilidade dos outros, pela minha também, mas queria gritar que não quero mais morrer.

Ah, esqueci de dizer meu nome, me desculpa às vezes sou meio apressado e esqueço de dizer quem sou, me chamo jovem, não lembro quantos anos tenho, mas isso não importa também. Sou magro e gordo, baixo, médio e alto, às vezes sou negro, outras vezes sou branco, pardo, adquiro muitas raças, ah aproveitando isso, queria dizer que não devia existir esse negócio de divisão de raças, somos todos iguais. Tenho olhos verdes, azuis, castanhos, negros, depende apenas da pessoa que estou e que sou. Meus cabelos? Ah, eles também tem várias cores, as vezes resolvo mudar um pouquinho e faço novos modelos, pinto eles de vermelho, azul, mas é só meu jeito de dizer que quero coisas novas. Eles podem ser curtos e compridos, dependendo de como estou e como vejo a vida.

Estou meio assustado hoje com esse mundo, por isso resolvi escrever esta carta. Queria dizer o quanto amo a vida, o quanto adoro viver. Queria mudar o pensamento de vocês, adultos, sobre mim, vocês já viveram o que vivo, num contexto diferente, mas viveram, também foram sonhadores, deveriam me entender. Se não conseguir mudar, gostaria que pelo menos essas linhas que escrevo servissem pra você repensar sua vida, olhar para tudo o que viveu e pedir se valeu à pena.

Estava dizendo que estou assustado com o mundo de hoje. É verdade. Olho para os adultos e vejo homens e mulheres sérios (as), depressivos, se matando pela ambição, passando por cima de tudo para conseguir o que quer. Não quero como jovem viver essa vida. Sou jovem afinal. Poxa, será que não me entendem?

Quero um mundo diferente. Não quero essa herança que me deixam. Não quero revólveres, não quero tanques e aviões de guerra, só quero viver!! Que me deixem viver!! O jovem quer viver, me ouçam...não quero rios poluídos, arvores caindo, geleiras derretendo, enchentes, terremotos, lixo. Poxa, só quero viver, será que é pedir demais? Não sou descartável como as embalagens, como os carros, sou de carne e osso, sou humano, sou gente também. Não quero brigar contigo.

Todos os dias olho-me no espelho ao acordar, para ver se ainda sou eu mesmo, se não mudei, se não é uma máscara de mim que está ai. Para ver se consigo olhar nos meus olhos e dizer que estou vivo e me amo como sou. Sou tão feliz como jovem. Queria dizer que ser jovem é uma vocação, não é apenas uma fase da vida da gente, depois passa e acaba, uma etapa para ser adulto. Meu coração arde como jovem.

Quero mudar o mundo, não importa como. Mas não quero morrer, não quero ver outro jovem caindo por causa das drogas, da violência. Não quero ver as lágrimas da mãe que perdeu seu filho, da moça mãe solteira, do moço de rua. Quero um mundo melhor, um mundo onde todos sejam iguais, um mundo de paz. Sei que parece utópico, mas possso sonhar. Você me ajuda a mudar? Pode me alcançar sua mão e vamos juntos caminhar? Vamos...!



Desabafo



Silêncio...


Mas por que está tão quieto aqui? Por que ninguém fala? Por que ninguém grita? Por quê?


Luto? Balas? Tiro? Morte? Serão homens? Ou nem dignos de animas poderão ser chamados?


Escuro...


Cadê a luz? O que aconteceu? Por que não consigo ver? Por que está tão escuro?


Não mexo meu corpo? Não sinto meu corpo? Onde estou?


Tristeza...


Cadê meus amigos? Meus sonhos? Minha vontade de lutar?


Choro... Choro...

Como pensar a vida diante dos fatos dessa semana sangrenta no Pará?

Pessoas que acreditam no projeto da vida são mortas por balas de revólver. É preciso dar um basta. Mas como? O silencio fala mais alto, a escuridão do dinheiro impede que se enxergue mais longe. Precisamos de nossa união, precisamos unir nossos projetos, precisamos continuar sonhando.

Amigos, hoje tinha pensado novamente em publicar uma daquelas poesias que fazem o coração pensar, mas não consegui pensar em outra coisa a não ser nos fatos dessa semana. Como ficar indiferente vendo tudo isso acontecer? Como?



Uma bala silencia uma luta!

Homens que matam por dinheiro...
Homens que matam por sonhos...
Homens que matam por florestas caídas...
Homens que matam apenas.

Pessoas que lutam por vida...
Pessoas que lutam por amor...
Pessoas que lutam pela terra...
Pessoas que lutam, mas não apenas...

Homens que usam armas...
Pessoas que usam palavras...
Homens que carregam revólveres...
Pessoas que carregam denuncias contra os homens...
Pessoas que morrem.

Pessoas que caem...
Arvores que caem...
Sonhos que caem...
Caem, caem...

Escuro, dor, silêncio, morte, fim...

Tudo tem uma razão de ser...

Aos poucos vai amanhecendo...
As estrelas, lembranças de uma noite maravilhosa
Aos poucos somem.
Oh noite, Noite...

Noite dos sonhos
noite de sonhos...
Por que sonhos só nascem a noite?

Talvez seja porque nela o luar ilumina,...
Ilumina corações apaixonados,
Ilumina amores distantes, amores ausentes...

Ou talvez seja porque as estrelas brilham
Brilham para olhares longiquos
Para pensamentos que voam por cima da mata...
Por cima de estados, cruzando esse imenso Brasil.

Ou talvez não seja nem uma nem outra razão....

Mas depois que as estrelas somem,
Depois que os sonhos apenas iluminam a face rosada do jovem...
Depois disso tudo o sol começa a despontar.

Primeiro tímido, com medo de enfrentar a jornada diária.
Mas depois surge imponente
Despertando as flores, as borboletas,o jovem feliz com seu sonho.

Oh, Sol que traz ao jovem a realidade
Que traz ao coração a saudade
Que traz aos olhos as lágrimas...

Talvez seja o sol que mostra a distância
Talvez seja o sol que ofusca o sonho...
Talvez nem seja o sol.

Talvez seja o jovem que esquece de ouvir seu coração
Talvez seja o jovem que esquece o que é o amor
Talvez ele somente sinta medo de encarar o amanhã.

Talvez, talvez...

Um olhar

Olhar distante além do horizonte
Buscando nele algo encontrar.
Olhar verdadeiro
Amor derradeiro de quem quer sempre amar.

A distancia separa
A saudade não cala
O coração forte pulsa
Na vida de dois amantes.

Amor ou paixão
Sonho ou ilusão
Nuvens ou coração
Amor de verão.

Amor de inverno
Sonho eterno
Paixão pulsante
Saudades de dois amores distantes.

Olhos que não se cruzam
Vozes que nãos e ouvem
Pensamentos que voam
Paixão que ressoa.


O horizonte

A quem me dera poder ver além do horizonte
Pra poder perceber o que se passa no meu futuro
Pra poder ver o que me espera na minha frente
Pra poder voar até lá e sonhar com o hoje.

Pássaros azuis voam misturando-se aos vermelhos
Flores naturais soltam perfumes ligeiramente adocicados
O coração bate desesperadamente
Como que se fosse encontrar o primeiro amor, o único amor...

Ah como queria....
Queria continuar sonhando, pra não precisar acordar.
Queria ver em tudo flores para a vida perfumar.
Queria chegar ao horizonte pra desvendar.

Família: questões fundamentais


Certa vez pelas ruas de Passo Fundo dois jovens discutiam acerca da sua situação atual. O rapaz intrigado com uma dúvida fundamental iniciou a discussão perguntando:
- Como podemos viver juntos, Ana? Somos tão novos, nossos pais não vão aceitar.
A moça prontamente responde:
- Vamos dizer que nos amamos, isso não basta?
- Sim, basta – replica o rapaz. Mas, e depois? Como vamos viver? Não temos casa, não temos dinheiro, não trabalhamos.
- Verdade, tens razão, Junior. Mas, podemos buscar um emprego, tem que ser algo que dê um pouquinho de dinheiro. Sobrar um pouco para comprar uns móveis pra gente.
- É, mas e até lá o que fazemos? Pergunta o rapaz.
- Podíamos tentar achar uma casa simples pra gente, meio barata, que dê pra pagar. Você vai em busca de emprego que eu vou também. Ai depois vemos no que dá.
Junior ainda não estava satisfeito. Aquela situação era muito estranha, afinal eles tinham apenas 16 anos e a responsabilidade de formar família era grande demais pra ser decidida assim. Mas, pensava ele que valeria pelo menos a conversa que estavam tendo. Perceber o que Ana pensava era muito gratificante, além de também planejar como poderiam viver pela frente.
Continuando a caminhada Junior abraça Ana que fica muito feliz. E ele pergunta:
- Ana, será que quando a gente ficar velhinho vamos continuar nos amando?
Ana suspira fundo e diz:
- Acho que sim. Fico as vezes imaginando nós bem tortinhos e ao nosso lado uns quatro ou cinco netinhos, dizendo “vovó conta como você conheceu o vovô?”. E nós lembramos esses bons momentos juntos.
Os dois se beijam e sorriem alegres, rindo um do outro. Junior reflete um pouco e fala:
- Ana, e se a gente continuar namorando mais um tempo. Ficarmos mais velhos e daí vermos se nosso amor é amor de verdade. Criar uma família agora é muito cedo para nós. E se nos amamos não vai ser problema esperarmos mais um pouquinho, não é mesmo?
- Sim. Podemos. Amo muito você.
E os dois continuaram caminhando.
Por mais estranho que pareça, esta cena foi real. E nos deixa uma séria dúvida do como nossas famílias estão sendo constituídas atualmente. Quantas famílias ainda sentam, ou andam juntas para discutir os passos que vão seguir pela frente? Quantas famílias discutem suas situações? Se amam ainda, ou apenas convivem sob o mesmo teto? Percebemos que nem sempre o amor é o principio primeiro para o casamento, às vezes é um filho não esperado, às vezes são condições financeiras, etc. O que é o casamento hoje para você? O que significa sua família? Tem um tempinho para conversar?
Dois jovens nos trazem hoje a reflexão de uma vida. É preciso que saibamos conversar e perceber como estamos vivendo em família para podermos viver mais perto de nossa comunidade e de Deus.

Vivemos em uma ditadura?


Por ditadura conhecemos os regimes políticos comandados por uma pessoa apenas, com plenos poderes, tanto políticos quanto militares. Poderia citar exemplos clássicos desse modelo como o do Brasil. Mas o que quero discutir é a com relação a questão se hoje vivemos um processo ditatorial.
Começaria dizendo que sim. Vivemos num processo de ditadura mascarado e explicito. Nota-se que há certa contrariedade nos dois adjetivos usados para caracterizar o período. Vou explicar conjuntamente o porquê de a situação atual adquirir duas faces parcialmente distintas.
Diria que vivemos em uma ditadura com poder de voto e não uma democracia participativa. O que por tese levando a rigor, não se configuraria ditadura propriamente dita, pois por diferenças de termos pensadores utilizam-se dessa expressão que teoricamente é fantástica, mas que na pratica é frágil e utópica.
Alguns elementos da atual democracia são muito próximos ao das ditaduras. Um exemplo que também surge da oligarquia é o poder passando de pai para filhos. ACM é um caso. O que por tese não é algo ilegal pois é legitimado pelo poder de voto.
Pelo processo ditatorial, o ditador comandava o poder, agora multinacionais dão cartadas e barganham o governo, passando a ter cargos políticos para a defesa de seus interesses. Acabam por fim adquirindo poder de governo.
Dessa forma, o presidente da República passa a ser percebido apenas como um “fantoche” que assina documentos, processos, MPs, etc. Talvez seja isso que chamam de democracia, a perda do poder do presidente.
Quando se fala em ditaduras, muitas vezes se utiliza de argumentos tais como o roubo das riquezas da população, enriquecimento do líder, etc., mas vemos que isso também acontece nos regimes democráticos.
Outro fator levantando nas ditaduras é a repressão da população ou grupos organizados contra o governo. Esse ponto é austero e difícil, pois atualmente movimentos sociais soam como verdadeiros bandos de criminosos aos ouvidos dos governantes, que por sua vez enviam suas tropas de policiais e repreendem.
A imprensa que sofreu muito por causa do controle a elas imposto, hoje vive com certa tranqüilidade de expressão.
Diante do exposto gostaria de questionar ideias surgidas com fatos recentes como o fim do regime no Egito. Seriam eles realmente legítimos? Quem são os verdadeiros interessados?
Por fim, encerro com a pergunta ainda em aberto: vivemos em ditaduras? Cabe a cada um, entender os processos atuais e se inserir neles, seja se omitindo ou buscando juntar forças para desmascará-lo no intuito de conhecer a real face do sistema atual.