Subscribe:

Vivemos em uma ditadura?


Por ditadura conhecemos os regimes políticos comandados por uma pessoa apenas, com plenos poderes, tanto políticos quanto militares. Poderia citar exemplos clássicos desse modelo como o do Brasil. Mas o que quero discutir é a com relação a questão se hoje vivemos um processo ditatorial.
Começaria dizendo que sim. Vivemos num processo de ditadura mascarado e explicito. Nota-se que há certa contrariedade nos dois adjetivos usados para caracterizar o período. Vou explicar conjuntamente o porquê de a situação atual adquirir duas faces parcialmente distintas.
Diria que vivemos em uma ditadura com poder de voto e não uma democracia participativa. O que por tese levando a rigor, não se configuraria ditadura propriamente dita, pois por diferenças de termos pensadores utilizam-se dessa expressão que teoricamente é fantástica, mas que na pratica é frágil e utópica.
Alguns elementos da atual democracia são muito próximos ao das ditaduras. Um exemplo que também surge da oligarquia é o poder passando de pai para filhos. ACM é um caso. O que por tese não é algo ilegal pois é legitimado pelo poder de voto.
Pelo processo ditatorial, o ditador comandava o poder, agora multinacionais dão cartadas e barganham o governo, passando a ter cargos políticos para a defesa de seus interesses. Acabam por fim adquirindo poder de governo.
Dessa forma, o presidente da República passa a ser percebido apenas como um “fantoche” que assina documentos, processos, MPs, etc. Talvez seja isso que chamam de democracia, a perda do poder do presidente.
Quando se fala em ditaduras, muitas vezes se utiliza de argumentos tais como o roubo das riquezas da população, enriquecimento do líder, etc., mas vemos que isso também acontece nos regimes democráticos.
Outro fator levantando nas ditaduras é a repressão da população ou grupos organizados contra o governo. Esse ponto é austero e difícil, pois atualmente movimentos sociais soam como verdadeiros bandos de criminosos aos ouvidos dos governantes, que por sua vez enviam suas tropas de policiais e repreendem.
A imprensa que sofreu muito por causa do controle a elas imposto, hoje vive com certa tranqüilidade de expressão.
Diante do exposto gostaria de questionar ideias surgidas com fatos recentes como o fim do regime no Egito. Seriam eles realmente legítimos? Quem são os verdadeiros interessados?
Por fim, encerro com a pergunta ainda em aberto: vivemos em ditaduras? Cabe a cada um, entender os processos atuais e se inserir neles, seja se omitindo ou buscando juntar forças para desmascará-lo no intuito de conhecer a real face do sistema atual.