Subscribe:

Família: questões fundamentais


Certa vez pelas ruas de Passo Fundo dois jovens discutiam acerca da sua situação atual. O rapaz intrigado com uma dúvida fundamental iniciou a discussão perguntando:
- Como podemos viver juntos, Ana? Somos tão novos, nossos pais não vão aceitar.
A moça prontamente responde:
- Vamos dizer que nos amamos, isso não basta?
- Sim, basta – replica o rapaz. Mas, e depois? Como vamos viver? Não temos casa, não temos dinheiro, não trabalhamos.
- Verdade, tens razão, Junior. Mas, podemos buscar um emprego, tem que ser algo que dê um pouquinho de dinheiro. Sobrar um pouco para comprar uns móveis pra gente.
- É, mas e até lá o que fazemos? Pergunta o rapaz.
- Podíamos tentar achar uma casa simples pra gente, meio barata, que dê pra pagar. Você vai em busca de emprego que eu vou também. Ai depois vemos no que dá.
Junior ainda não estava satisfeito. Aquela situação era muito estranha, afinal eles tinham apenas 16 anos e a responsabilidade de formar família era grande demais pra ser decidida assim. Mas, pensava ele que valeria pelo menos a conversa que estavam tendo. Perceber o que Ana pensava era muito gratificante, além de também planejar como poderiam viver pela frente.
Continuando a caminhada Junior abraça Ana que fica muito feliz. E ele pergunta:
- Ana, será que quando a gente ficar velhinho vamos continuar nos amando?
Ana suspira fundo e diz:
- Acho que sim. Fico as vezes imaginando nós bem tortinhos e ao nosso lado uns quatro ou cinco netinhos, dizendo “vovó conta como você conheceu o vovô?”. E nós lembramos esses bons momentos juntos.
Os dois se beijam e sorriem alegres, rindo um do outro. Junior reflete um pouco e fala:
- Ana, e se a gente continuar namorando mais um tempo. Ficarmos mais velhos e daí vermos se nosso amor é amor de verdade. Criar uma família agora é muito cedo para nós. E se nos amamos não vai ser problema esperarmos mais um pouquinho, não é mesmo?
- Sim. Podemos. Amo muito você.
E os dois continuaram caminhando.
Por mais estranho que pareça, esta cena foi real. E nos deixa uma séria dúvida do como nossas famílias estão sendo constituídas atualmente. Quantas famílias ainda sentam, ou andam juntas para discutir os passos que vão seguir pela frente? Quantas famílias discutem suas situações? Se amam ainda, ou apenas convivem sob o mesmo teto? Percebemos que nem sempre o amor é o principio primeiro para o casamento, às vezes é um filho não esperado, às vezes são condições financeiras, etc. O que é o casamento hoje para você? O que significa sua família? Tem um tempinho para conversar?
Dois jovens nos trazem hoje a reflexão de uma vida. É preciso que saibamos conversar e perceber como estamos vivendo em família para podermos viver mais perto de nossa comunidade e de Deus.